MEDICINA DE VIAGENS
Viagens e Riscos  
 
 
Doenças no mundo  
 
 
Conselhos Práticos 
  • Viajar em família
• Farmácia de viagem
• Seguros de doença

 
Em Foco  
  • Artigos

 
DOENÇAS NO MUNDO
   
 
     
Viajar em família
 

Apesar da alegria que é reunir a família para fazer uma viagem, é importante ter em conta que há cuidados que têm de ser tidos em conta de modo a garantir a segurança e saúde de todos os que vão participar.
A par das imunizações recomendadas e dos cuidados referentes às doenças do ar, transmitidas por insectos, entre outras, é necessário redobrar cuidados quando a viagem inclui crianças ou bebés, mulheres grávidas, idosos, deficientes ou pessoas com problemas de saúde já diagnosticados.
Especialmente nestes casos, o aconselhamento médico e as precauções especiais, assim como informação adequada sobre os serviços médicos disponíveis no destino da viagem, são fundamentais.

Crianças
Os lactentes e as crianças têm necessidades especiais relativamente à vacinação e às precauções com a malária. Para além disso, são mais sensíveis a mudanças de altitude, às radiações ultravioletas e contraem facilmente doenças infecciosas. A juntar a isso, desidratam facilmente e quando têm de fazer viagens aéreas sofrem frequentemente de desconforto devido às alterações de pressão atmosférica na cabina.

Gravidez
Desde que a mulher esteja bem de saúde e o parto ainda não estiver próximo, nada a impede de viajar. Contudo, há limitações grandes em relação a imunizações neste período, pelo que é essencial consultar um especialista na matéria. Ainda assim, convém salientar que as grávidas são especialmente propensas a contrair malária.

Incapacidade física
Ter incapacidade física não é uma contra-indicação para viajar, desde que a saúde do indivíduo seja boa.

Doenças preexistentes
Quem sofre de doenças crónicas deve procurar aconselhamento médico antes de planear uma viagem, porque há tendência para aumentar os riscos para a saúde durante a viagem. Para além disso, deve levar toda a medicação necessária e dando especial atenção à quantidade que deve ser suficiente para todo o período de férias.
Neste caso concreto, o viajante deve possuir um atestado que certifique a necessidade de utilização de alguns medicamentos e artigos médicos transportados e que podem ser alvo de interrogação pelas entidades alfandegárias.

 
     
   
  Notícias